segunda-feira, dezembro 24, 2007

Feliz Natal!!


Ok. Já postei agora mesmo, mas não lembrei que era Natal. Não que seja irrelevante, mas tenho uma visão ampla sobre essa data. É para mim algo muito especial pensar no nascimento do meu Salvador, mas tenho consciência também de que a data não foi bem essa... nem em mês, nem em anos, como contamos no calendário etc etc. Mas acho que isso tb é besteira. Porque a data errada não muda a importância do fato, mas o fato importante não se prende a uma data. Durante os últimos dias, ou melhor, as últimas noites, um grupo aqui da igreja saiu cantando pelas casas das pessoas na cidade. Ontem no culto só foram cantados hinos de natal. Hoje à noite teremos um jantar com a igreja. A data acaba virado apenas uma troca de formalidades entre as pessoas, e até as instituições que deveriam prezar pelo "verdadeiro sentido do Natal" acabam entrando na onda da "mesmice ritualísitca". Abaixo segue a letra de um hino antigo e bem simples, quase infantil, do que interessa de verdade não só nessa data, mas sempre:

241- Nascimento de Jesus


Mal supõe aquela gente

Que em Belém quer ir parar

Que uma liz tão refuilgente

Vai ali brilhar

É por anjos anunciado

E os pastores logo vêem

Que o Senhor por Deus mandado

Nasce em Belém



Vinde ouvir a doce história

Que nos altos céus nos vem

O Messias, rei da Glória

Nasce em Belém


Mundo triste, vem desperta

Teus grilhões desfeitos são

Tens a porta franca aberta

Sai da vil prisão

Não hesites duvidoso

Esse dom do céu provém;

Cristo, o Todo-Poderoso

Nasce em Belém


Proclamai a todo mundo

Toda raça, toda cor:

Cristo em seu amor profundo,

Salva o pecador!

Confiança Nele tende

Não desprezará ninguém

Vinde, os braços vos estende

Nasce em Belém


Piriri

Quanta coisa nessas duas últimas semanas!
Nessa última que acabou anteontem, nem se fala!
Corri demais, acabei ficando doente. Domingo passado recebi um golpe no estômago com uma notícia ruim prá caramba e passei mal antes do culto. Tive um piriri daqueles. Consegui ficar no culto, ainda que minhas entranhas tenham se movimentado além da conta umas duas ou três vezes.
Aí seguiu a semana com mais problemas para resolver, o caso do domingo martelando nossa cabeça aqui em casa, nós sem saber o que pensar e como ajudar as pessoas afetadas por ele...
Ontem, cera de uma hora ou mais antes do culto, comecei a sentrir cólicas intestinais muito fortes. Sabe aquela que até arrepia? Aff... foi essa...
Morei no banheiro por uma hora. Mas achei que tivesse passado, tomei banho e fui para o culto. Depois de 5 minutos me contraindo no púlpito, voltei para o banheiro de casa. Não teve jeito. Senti que estava desidratando e não só isso, mas minhas mãos começaram a ficar pálidas, eu passei a suar frio. Tive vontade de chamar meu marido, quem sabe me levar para tomar um soro no hospital, mas acabei desistindo.
Lá prás tantas, quase 9 da noite, já quase 3 horas agoniando, a dor passou e o intestino resolveu parar um pouco.
Ainda bem! Não aguentava mais!
Fui tomar uma sopa para dormir, mas tive nojo quando olhei no prato. Fiz um mingau de chocolate - daqueles de maizena - e foi o que bastou.
Fim de ano puxado.
Até para meu intestino, coitado.

sexta-feira, dezembro 07, 2007

07 de dezembro de 2007.

O ano logo chegará ao fim.

Quando era pequena ouvia as pessoas "maiores" comentando como faltava tempo para isso e aquilo, como a vida estava passando rapidamente e sinceramente, achava tudo tão distante da minha realidade... Meu tempo passava devagar. Quando mesmo eu teria 12 anos? E que falar dos 15?
Nem chegava a sonhar com os 18 porque sabia que seria uma eternidade até que eles viessem.

Mas percebi com o passar desse mesmo tempo, que ele tem várias faces e que se revela de maneira diferente a cada idade, conforme aquilo que cada uma pode entender, perceber.


Hoje eu mesma tenho a impressão de que tudo passa com muita velocidade, que os dias escoem pelas mãos como grãos de areia, aquela sensação que tinha quando era criança e brincava na praia, deixando a areia escapar entre os dedos se repete com o tempo e minha vida.

Mas não me queixo. Apenas observo.

E acho tudo muito bonito. Bonito ver que o tempo corre para mim e é tão letárgico para meus alunos de 5 anos na EBD, que nem entendem quanto tempo falta até o Natal.

Mas deixando tudo isso de lado, como disse Cecília Meireles, "o essencial é viver".

terça-feira, dezembro 04, 2007

Linux, eu consegui!!

Um tempinho atrás, ao trocar de pc, resolvi tentar usar Linux pela segunda vez. Da primeira vez a distribuição infeliz não colaborou, uns 4 anos atrás, mas desta vez, com o Ubuntu, que todo mundo conhecia, fiquei com vontade de ter mais paciência para tentar.
No dia a dia, par editar texts, acessar a internet, trabalhar fotos etc até que ia tudo bem. Se precisava de um programa, era só procurar por ele num chat, site e depois baixar rapidamente, sem nenhum custo. Isso foi me animando.
Que falar das atualizações? Tudo rápido e fácil, muito diferente do que um usuário comum como eu, catequizado pelo Windows poderia imaginar.
Passei a ter problemas quando precisava de algum documento no laptop do meu marido e tinha que usar pen drive porque naõ sabia configurar uma rede.
Aí perguntei a um primo meu se seria possível essa rede entre os dois sistemas operacionais. Ele disse que sim, mas que eu precisaria de um "samba".
fala sério! Depois falou que talvez precisasse de "cups" para a impressora funcionar em rede... Tava me xingando e queria disfarçar...
Mas eu tentei achar esses troços.
Foi tudo caminhando bem, consegui compartilhar arquivos, mas nada de Internet. Tentei tudo o que li nos sites informativos, mas nada funcionava e sem capacidade suficiente para fazer um programa funcionar corretamente. Sabia que a culpa não era do Linux. Era minha, toda minha.
Ontem à tarde criei coragem e entrei num chat.
Alguém amistosamente se ofereceu a me ajudar e hoje pela manhã testei as configurações.
Ansiosa reiniciei tudo e nem sei descrever a emoção ao perceber que no Rwindows o Iexplorer abriu e as cores do site começaram a aparecer...
Obrigada aos colaboradores que me fizeram chegar até aqui!

Para mostrar minha gratidão, segue abaixo um poema que encontrei no site http://marcellino.wordpress.com/


Há dez anos você entrou na minha vida
E curou aquela minha ferida

Meu outro amor não era real
Vivia fingindo passar mal

Eu acordava todo animado
E ele ficava lá travado

Eu queria passear, navegar
Mas o único azul que ele me mostrava não era o mar

Já você amor, que parecia todo sombrio
Em pouco tempo me fez até ter arrepio

No início nossa relação foi complicada
Você ficava mudo, não falava nada

Hoje sei que eu estava enganado
Você só estava desconfigurado

Você me fez ver que eu poderia ser mais feliz
E como forma de gratidão eu também te refiz

Quero que saiba meu amor, que você é tudo pra mim
Se eu fosse uma geladeira, você seria o meu pinguim

Mas como sou apenas um computador digo até o final
Você sempre será o meu único sistema operacional

sábado, dezembro 01, 2007

quinta-feira, novembro 29, 2007

Aniversário de casamento


Dia 26 desse mês fiz dois anos de casada.
Foi um aniversário diferente, dentro do avião, porque justamente nesse dia voltávamos de São Luís.
Para ficar registrado direito, uma foto da gente lá.
Uns quilos a mais em mim, uns a menos nele, cabelo a mais em mim, cada dia menos nele e o tempo vai passando...
Aviso aos navegantes: casar é muito bom!
Paula, daqui um tempo eu sou mãe e vc tá enrolando o que?

quarta-feira, novembro 28, 2007

Maranhão 2





Hoje tem "fotinha"...
Isso tb é Brasil! Pense num lugar lindo!!
Esses são os lençóis maranhenses, ou parte deles, porque está muito seco nesse período e esse povo andando sob sol escaldante estava conosco.
Vale à pena a caminhada e o calor prá depois entrar na água fresca e relaxar.

terça-feira, novembro 27, 2007

Maranhão 1

Sem explicar nada simplesmente sumi do mapa, mas foi necessário. foi tão grande a correria 10 dias atrás que não tive tempo nem de responder e-mail, quem dirá de postar!
Fui para o Maranhão! Uhu!!
Lindo o lugar, aliás, os lugares e vou me esforçar para publicar fotos. Como cheguei hoje de madrugada e ainda estou morta de cansaço, quero só comentar que achei São Luís muito limpa, uma cidade mais organizada do qeu pensava.
Gostei do sotaque dos maranhenses, da comida deles e quero deixar gravado o quanto fui bem recebida lá. Ô povinho agradável!
Ficamos na casa dos pais de um pastor amigo do meu marido e realmente nos sentimos muito bem.
Gentes e lugares para não esquecer nunca.
Quem sabe volto lá um dia?
Fotos amanhã, quando eu achar o dvd onde elas estão...

sexta-feira, novembro 09, 2007

Linux - eu vou conseguir!! uhu!!

Ontem à noite, aliás, até de madrugada, fiquei tentando descobrir como fazer isso e aquilo no meu pc.
Meu consultor particular gratuito tem um emprego e não pode ficar simplesmente à minha disposição.
Então arregacei as mangas, preparei a cadeira e a água e fiquei sentada aqui até conseguir pelo menos ter acesso aos documentos do laptop que está com o pai da lerdeza (Windows, para ser mais clara).
Consegui!! Quase 1 da matina, mas consegui.
Aí hoje pela manhã quando abri o pc pensando que continuaria de onde havia parado, percebi que estava redondamente enganada porque estava tudo na estaca zero. Um pouco mais rápido consegui dar um jeito, mas e a Internet?
Como faço para compartilhar a Internet?
As dicas que encontrei até agora não servem para o meu caso. A que parecia servir, faz com que eu perca o comparitlhamento das pastas...
Ou seja, ainda tenho um longo caminho pela frente.
Para meu consolo, dois programas de que precisava muito já localizei.
Mas sabe o que vou fazer?
Se realmente conseguir resolver todos os meus problemas e continuar com o Linux, vou publicar aqui no Blog o passo-a-passo com fotos sobre como configurar rede, como instalar programas, como mudar o visual, todas as coisas que os leigos querem fazer e não conseguem.
Os fóruns existem mas são técnicos demais, então farei algo simples.
Notícias do universo aqui do meu pc a qualquer momento.

quinta-feira, novembro 08, 2007

Linux

Faz muito tempo que não tenho simpatia pelo Windows.
Sou uma usuária comum, que abusa do espaço que tem, mas não fica baixando tralha da internet. Pesa meu trabalho e pesa muito o trabalho do meu marido.
Estamos com uma super máquina agora e isso me deu esperanças de tentar novamente me adaptar ao Linux.
Mas tá difícil... porque nós, pobres mortais, queremos coisas simples, que não exijam programar nada. Queremos simplesmente instalar uma placa no pc e tê-la funcionando completamente, sem fazer adaptações demais e explorando seus recursos ao máximo.
Mas é difícil...
No meu caso, ainda tenho quem me ajude o tempo inteiro e me faça ter um pouco mais de paciência nessa fase de adaptação, mas e quem não tem?
Não seria legal se todo mundo pudesse usar Linux, de graça ou por pouquíssimo, e ainda conseguindo realizar todas as tarefas necessárias?
E não seria mais legal ainda se os fabricantes de placas e de software pensassem masi em nós, normais que preferem Linux ao pesado Windows XP ou ao absurdo Vista?
Novamente protesto numa área que não é minha, mas o espaço aqui é =] e sei que tem muita gente que pensa como eu.
Não fazemos questão de que seja "bonitinho", cheio de fru-frus, mas queremos algo que funcione, só.
Eu nem tô aí pras funções do MSN novo, aqueles trocinhos barulhentinhos, mesmo que eles tenham graça. Prefiro um negócio mais feiosinho feito o Gaim, mas que não dê pau.
Dá prá entender?
De não programador para programador. Dado o recado no ar.

* Agradecimentos ao Tiago que presta consultoria quase 24h seguidas. A comida tá garantida quando vier.

sábado, novembro 03, 2007

Para eu me lembrar sempre


Quero de vez em quando colocar umas fotos aqui que me lembrem a realidade coexistente à minha nesse mundo.
Que me façam lembrar que enquanto posso fazer a comida que eu quiser em casa, outros não podem sequer comer.
Que pago mensalmente por acesso à internet, um mundo que outros tantos desconhecem.
Que devo ser grata por aquilo que me cerca, pela vida que tenho, amigos, igreja, meu marido, família, porque são bênçãos especiais das quais outros não podem desfrutar.
E quero lembrar sempre que essa diferença não me faz melhor que eles, nem tampouco tenho outras oportunidades porque sou melhor.
São apenas pessoas, como eu, nascidas num contexto diferente e poderia ser eu ali.
Sem demagogia, sem apelos, por favor. Apenas está aqui mais um pouquinho de outra gente.
Como a gente.

quinta-feira, novembro 01, 2007

Tacos II (Tortillas/Burritos/Fajitas)

Seguinte, há uma grande diferença entre o que conhecemos aqui, entre o que se come no México em cada região e assim temos uma grande variedade de receitas e modos.
Uma comum e conhecida é o taco de milho, aquele crocante. Esse aqui é crocante, só que de farinha, certo? É muito gostoso, fácil, rápido e resolve o problema de quem ,como eu, não tem onde comprar feito algo mais "original".

Conforme o prometido, aqui está.

Ingredientes da Massa: (2 pessoas)
2 xícaras de farinha de trigo
2 colheres de sopa de gordura vegetal hidrogenada ou manteiga mesmo
1/2 colher de chá de sal
1/2 xícara de água morna

Modo de Preparo:
É bom que a gordura ou manteiga esteja na temperatura ambiente. Coloque a farinha numa vasilha, no meio dela a manteiga, faça uma "farofa" e depois vá misturando a água morna. Se a manteiga tiver sal, não precisa colocar mais. Se fizer com gordura, precisa.
A massa fica elástica. Deixe descansar pelo menos meia horinha e depois divida a massa em 8 bolinas. Abra o disco e frite em frigideira quente. Pronto.

Para rechear pode usar guacamole, carne em tirinhas, bem temperada e frita, linguiça esmiuçada, cogumelos, frango desfiado, queijo, tomates picados, alface fatiado... o que quiser.
E bastante pimenta, claro.

Pofta Buna!

quarta-feira, outubro 31, 2007

31 de Outubro - Dia da Reforma

Apesar de eu já ter postado mais cedo, vale esse aqui.

Hoje é dia da Reforma Protestante.
É um dia especial para mim.

Por causa de grandes homens que erraram e acertaram no passado estou aqui, sou quem sou.
Todos nós temos uma história que se conecta a todas as outras que já foram e a minha tem forte ligação com essa data.

Não me prestarei a fazer comentários sobre o que aconteceu etc etc... quem quiser, pesquise melhor ou pergunte. Não é um blog de história.

Mas quero deixar gravado que me lembrei dessa data, que amo minha história e me orgulho das conquistas obtidas por causa disso.

Los Hermanos


Los Hermanos
Composição: Atahualpa Yupanqui


Yo tengo tantos hermanos
Que no los puedo contar
En el vale en la montaña
En la pampa y en el mar
Cada cual con sus trabajos
Con sus sueños cada cual
Con la esperanza adelante
Con los recuerdos de trás
Yo tengo tantos hermanos
Que no los puedo contar


Gente de mano caliente
Por eso de la amistad
Con um lloro para llorarlo
Con un rezo para rezar
Con un horizonte abierto
Que siempre esta más allá
Y esa fuerza pa buscarlo
Con tezón y voluntad
Cuando parece más cerca
Es cuando se aleja más
Yo tengo tantos hermanos
Que no los puedo contar


Y asi seguimos andando
Curtidos de soledad
Nos perdemos por el mundo
Nos volvemos a encontrar
Y asi nos reconocemos
Por el lejano mirar
Por las coplas que mordemos
Semillas de imensidad
E asi seguimos andando
Curtidos de soledad
Y en nosotros nuestros muertos
Pa que nadie quede atrás
Yo tengo tantos hermanos
Que no los puedo contar

Y una hermana muy hermosa
Que se llama libertad

segunda-feira, outubro 29, 2007

Tacos e desejos

Essa semana que passou foi a semana das vontades...
Cada dia tive vontade de comer uma coisa diferente e não tão fácil de encontrar aqui na cidade onde estou.
Me deu vontade de comer trufas originais, não bombons recheados como tenho visto por todo lado... depois tive vontade de comer pimentões recheados... e a última foi de comer tacos mexicanos.


Não estou grávida, até onde sei.
Foi só desejo mesmo, puro capricho estomacal, se posso assim dizer.

A internet tem grande valia nessas horas. Acabei encontrando uma receita ótima de tacos, vi que fazer pimentões recheados é facílimo, descolei uma receita de nhoque diferente, aprendi a fazer trufas e devo ter engordado uns 10 kg tb...

As receitas virão no decorrer desses próximos dias, se tudo der certo, se houver tempo, que é artigo de luxo em nossos dias.

Nem penso em ter fotos, já que assim que acabo de cozinhar começamos a comer e nem dá tempo de pensar em buscar a máquina.

Acho que depois desse post vou precisar escrever sobre tempo novamente. Me deu um "plá".

sexta-feira, outubro 19, 2007

Será??

Escrevo isso por causa de um comentário que li noutro blog. Não estou indignada, revoltada, nada disso, nem "me doí" pelo lido.
Apenas pensei.

É verdade que tem muita gente que prega uma coisa e vive outra.
É verdade tb que isso é altamente irritante e que ando enojada e enjoada de gente "duas caras", que brinca com o cristianismo.
Mas, cobrar só dos "crentes" que se portem da maneira como pregam é uma falta de senso.
Os evangélicos não são nem serão até morrerem perfeitos.
Deveriam, contudo, manter-se fiéis, ou se esmerarem nisso, no que crêem, que pregam e viverem de acordo. Ponto. Verdade parcial.
Mas segue outro raciocínio igualmente válido.
Como seres humanos, não deveríamos todos nós buscarmos ser melhores, mais sinceros, "sem cera" e mais leais conosco e outros independente do credo?
Por que cobramos dos pastores e não dos padres e monges e políticos tb?
Somos verdadeiros o tempo inteiro, sem cera, sem máscara, sem subterfúgios?
Esse assunto daria um livro. Não quero um livro, quero apenas oferecer a mim mesma outro lado da mesmíssima moeda.
Por isso acredito que Jesus tenha falado para judeus e gentios:
- Aquele que não tiver pecados, atire a primeira pedra.

Horário de Verão Democrático

Realmente o horário de verão costumava me causar um certo desconforto no início, quando minha noite ficava mais curta e o dia de trabalho parecia mais longo.Mas depois de uma semana já estava acostumada - quando chegava a ser uma semana - e nem me dava conta de quando precisava mudar o relógio novamente, porque uma hora não é quase nada, é o tempo que se perde na novela, metade do que se perde num DVD...Mas no nosso Brasilzão além do povo chiar demais, não se faz o horário de verão como deveria ser feito aos meus leigos olhos. Por que aqui no Nordeste não o temos?Justo aqui "onde o sol nasce primeiro", onde os dias são sempre longos, as manhãs, escaldantes?Não faz sentido para mim, nenhunzinho.Lembro que quando cheguei aqui acordava todos os dias 4:30h da manhã porque o sol invadia meu quarto - na época sem cortinas - e os passarinhos começavam a cantar.Gente do céu! Estamos por fora.Pelo horário de verão para o Brasil todo! rs... deixa prá lá...

sábado, outubro 13, 2007

Pessoas, sempre as pessoas

No fundo, o que queremos todos nós?
Não nascemos já com o fogo de aparecer, e buscar atenção,
E nisso nos especializamos, orientados por nossos pais e mães
Quando nos estimulam ao acalentarem nosso choro manhoso
Quando riem de nosso sorriso,
E fotografam nossos banhos, nossas sujeiras de chocolate
e lama
E se gabam de termos falado mais cedo, andado mais cedo...
E mais tarde quando no colégio, exibem nossas notas
Cadernos, caligrafia?
E crescemos assim, achando que tudo gira em torno de nosso umbigo
O verdadeiro centro do Universo ganha então seu lugar
em nós
E a vida vai passando e as espinhas afugentam parte dos sonhos
A maquiagem e o boné corrigem o que pode
E passamos a lutar por um lugar ao sol dos namoros,
amores
E depois lutamos para sermos vistos no trabalho,
Reconhecidos, recompensados
Lutamos para a família do cônjuge nos aceitar
Para ele sempre nos continuar querendo e desejando
E depois lutamos para nossos filhos serem os melhores
Melhores em saber cativar esse mundo esquisito
Melhores na arte de garimpar o seu lugar
Se possível, melhor que o nosso.
Acho que aí, talvez passemos a entender melhor qual era o nosso lugar...
Somos todos apenas trabalhadores rurais,
Preparando o terreno, esse chão que nos acolhe quando chegamos
E partimos
Para os que virão após nós
E esperamos, finalmente, que eles entendam mais rápido
Aquilo que só a vida cumprida nos revelou
.

quarta-feira, outubro 10, 2007

Homicídio

Distante ele estava.
E cada vez que sentia ser observado,
Mais distante se tornava.

Curiosidade é algo interessante.
Na mesma proporção,
Quanto mais se afastava,
Mais era observado.

Todos já tinham entendido essa equação.
Mas o que importa mais:
Saciar-se ou ser solidário na angústia alheia?

Esse processo que a mim foi tão dolorido
Estendeu-se durante alguns longos minutos.

Então ouve um alvoroço.
Correria, gritaria e mais curiosos.
Um grito,
Uma dor,
Um choro.
Estava consumado.

A tudo acompanhei.
Alfa e ômega.

Quando vi o corpo daquele jovem
Que acabara de se jogar do 30º andar,
Me dei conta de algo assustador.

Eu também o havia matado.


(Por mim mesma)

terça-feira, outubro 09, 2007

Meninas

Diariamente

Pessoas, manias e afins

Esse mês foi muito ruim em vários aspectos.
Isso se deu por causa de pessoas que não sabem se alegrar.
Mas tb foi um mês muito, muito bom, por causa de pessoas que sabem se alegrar.
Sei que estranho entender isso, que é estranho tb pra explicar, mas exatamente assim aconteceu.

Deixemos o lado ruim para lá para não me tornar como quem não sabe se alegrar e ressaltemos o que foi bom.
Foi bom voltar para casa depois de estar um mês fora.
Foi bom rever o pessoal da igreja.
Foi bom completar 5 anos em Rio Tinto.
Foi bom rever a Sofia (minha gata).
Foi bom conseguir livros para montar nossa biblioteca.

O que eu lembrar entra depois.

segunda-feira, outubro 08, 2007

Família...


Poderia dizer que amo minha família "apesar" disso ou daquilo, mas acho que o correto é dizer que amo "por causa" disso e daquilo... Amo porque são como são, ou porque são quem são.
Em ordem, primo, mãe, irmão, irmão, eu, irmão, e abaixo, cunhada, irmão e pai.
O de nariz grande é patrão de um irmão (esse sobrando na foto).
Isso foi o noivado de um deles, no apartamento da cunhada. Prá identificar (eu mesma daqui uns anos).
É isso aí.


quarta-feira, outubro 03, 2007

Peixe simples e rápido

Com foto, finalmente, o prato de hoje.
Tinha um peixe congelado aqui em casa que não sei nem o que era. Tinha cara de dourado, mas não tenho certeza absoluta.
Em todo caso, como ando estressada e sem tempo, só posso fazer comidas simples mesmo, no entanto que tenham uma carinha boa, ?
Todo mundo come melhor quando enxerga melhor.

Esse peixe recebeu um pouco de sal e foi selado dos dois lados em azeite (pouco azeite). Tinha poucas postas. Foi bem rápido. Depois de selar, coloquei os tomates, os pimentões e a cebola. Pinguei umas gotas de vinagre branco e um pouco de água.
Deixei a panela fechada e esperei cozinhar bem, ate os tomates quase desmancharem. Perto de desligar a panela, coloquei folhas de coentro. Só isso. Servi com beterraba cozida (gelada) e batatas feitas no vapor, passadas na margarina depois.

Gostoso e rapidíssimo!

Ingredientes:

umas 5 postas de peixe (dourado, corvina)
2 tomates pequenos em rodelas médias
1 pimentão verde em rodelas finas
1 cebola média em rodelas
azeite (uma colher de sopa mais ou menos)
sal a gosto
gotas de vinagre branco







E lá vamos nós...


Alguém deve se lembrar, não é possível, daquele desenho do Pica-Pau em que tem uma bruxa eles procuram a vassoura encantada dela. Aliás, ela procura, mas em vão, uma vez que ele a escondeu entre tantas outras comuns, com a mesma cara de vassoura-de-bruxa, sem o poder da dita em questão.

Cada vez que a bruxa pegava uma vassoura e sentava nela, bradava:
- E lá vamos nós!
Mas nada acontecia. Eram milhares de vassouras sem resultado e o desenho termina com o passarinho feliz e a bruxa quase doida.

Às vezes me sinto assim. Parece que até as coisas que eu conhecia e sabia como funcionavam deixaram de funcionar ou se misturaram a tantas outras comuns que já não posso distinguir entre elas.

Deixe eu desligar minha panela que está com beterrabas.

Pronto.

Então, fico pensando sobre o quanto interefere na vida da gente a falta de valores corretos que se propaga pelo mundo. Quanto realmente podemos suportar dessa carga toda, 24 horas por dia, nos amigos, nos colegas, nos parentes malucos, nas igrejas malucas, nas igrejas que antes eram saudáveis, na tv.

É fogo, mas acho que todos nós somos contaminados por isso.

Estou numa fase de grande ira. Ira com gente lerda, com gente que deturpa os valores corretos, que joga com verdades para construir uma mentira... Estou uma "arara", essa é a verdade, mas não sei quanto disso me afeta.

Acho que era uma pessoa melhor uns anos atrás, sei lá. Menos ocupada e preocupada, menos estressada e mais astuta em perceber os caminhos.

Ou talvez fosse mais arrogante e por isso não analisasse direito, partindo apenas de um ponto de vista e fazendo assim as coisas parecerem mais simples, sem serem, mas limitando-as em meu ponto de vista.

Por Ferreira Gullar:

"Fluo obscuro de mim, enquanto a rosa
se entrega ao mundo, estrela tranquila.
Nada sei do que sofro.
O mesmo tempo
que em mim é frustração, nela cintila.

E este que por sobre nós espelho, lento,
bebe ódio em mim; nela, o vermelho.
Morro o que sou nos dois.
O mesmo vento
que impele a rosa é o que nos move, espelho!"

Volto às beterrabas.

sábado, setembro 29, 2007

Dna Catarina

Nesse ímpeto maluco de fazermos a vida ter sentido em si mesma
Essa vontade esquisita de querer que nada tenha fim
E a tristeza de não entender como tudo funciona.
Lutamos para apenas dar continuidade ao que não se foi,
Mesmo que também de modo e tempo incertos
Mas visível, palpável, audível
Nos enganando um pouco mais quanto ao fim inefável.

segunda-feira, setembro 24, 2007

Frango com Vinho Branco

Lá vai...

Essa eu fiz essa semana para aproveitar um peito de frango que descongelei sem querer, pensando que fosse sobrecoxa...


1 kg de peito de frango cortado em cubos médios e temperado apenas com sal e coloral
150 gr de bacon em pedacitos
100 gr de champignon em fatias médias
1 ou 2 filhas de louro
azeite
vinho branco

Fritei o bacon em pouco azeite, mas não deixei que ficasse muito dourado. Juntei os pedaços do frango e fritei até ficarem bem sequinhos e dourados.
Depois adicionei o louro e coloquei o vinho. Deixei ferver uns 10 minutos, nem isso e depois, já no finzinho juntei os cogumelos.

Uma delícia! A gente come o frango e depois o sabor do vinho fica na boca... hummmm! Vou ter que fazer outra vez esses dias...

Pode servir só com arroz branco e uma salada bem colorida.

As visitas aprovaram.

terça-feira, setembro 18, 2007

Ida e Volta Minha

Passei um mês fora e agora ao retornar, resolvi fazer nova mudança no blog.
Vou passar a publiocar tb coisas que gosto de comer, receitas interessantes.

A de hoje é simples, para preguiçosos na cozinha que querem fazer algo diferente:


Bolo Gelado

1 massa de bolo dessas prontas, tipo Dona Benta, sabor laranja ou festa, feita conforme as orientações no verso... (falei que era para preguiçosos).

Cobertura:
1 lata de leite condensado
500 ml de leite
1 garrafinha pequena de leite de côco
2 colheres de sopa de maisena

Misture tudo, exceto a maisena. separe metade e regue o bolo com ela. É bom fazer furinhos no bolo ára ele ficar bem molhado.

À outra metade, misture a maisena e leve ao fogo até engrossar. Coloque esse creme sobre o bolo, salpique côco ralado (uns 200 gramas) e corte em quadrados.
Sirva gelado.


* Uma opção é enrolar os quadrados em papel alumínio antes de levar à geladeira.

quarta-feira, agosto 01, 2007

Aniversário do Pai, Ida do Marido

É interessante como dois dias tão próximos podem ter significados tão diferentes.
Ontem foi aniversário do meu pai e fiquei feliz por causa da existência dele. Claro que estou sempre feliz pelo fato de ele existir, de ser meu pai etc etc e ele [e um paizão, mas ontem foi mais especial porque era aniversário, estavamos lembrando de como ele nascer foi importante4.
Hoje meu marido está terminando de preparar as coisas para ir à SP. Vamos nos encontrar daqui 15, ou melhor, 16 dias.
Esotu triste.
Esotu muito triste. Gostaria de ir já, de não ter que esperar esse tempo todo, mas por causa das minhas ulas, não tenho coragem de sair mais cedo e faltar tantas vezes e assim prejudicar meus alunos.
Eles precisam... estão tentando aprender alguma coisa, sei lá... então não tive coragem de faltar o mês inteiro e decidi ficar menos tempo em SP, logo, meu marido ficará uns dias sem mim.
Ontem eu estava feliz. Hoje estou meio triste.
É a vida. Feita desses momentos, dessas emoções e de só uma certeza: um dia isso tudo vai acabar e estou com garantia de uma eternidade tranquila, sem essa variações de emoções, sem despedidas. Amém!

quinta-feira, julho 26, 2007

Ainda Dia do Amigo


No post atrasado do dia do amigo falei sobre todos os tipos, sem nomes e agradeci os novos.
Mas acho que é injusto com o restante dos muitos e bons amigos.
Por isso, de vez em quando vou fazer um post de dia do amigo atrasado e publicar a foto de um ou mais deles.
Hoje vai a foto de uma amiga que é mais que isso, é uma mãe!
É a mãe espiritual que Deus colocou na minha vida, aqui no nordeste. Uma mãe com sotaque diferente do meu, com o cabelo lisinho; diferente fisicamente talvez, mas com uma afinidade espiritual e pessoal tão grande que esquecemos que o laço de sangue não existe.
Ela é aqui meu grande apoio para todos os instantes e marcou minha vida porque veio num momento muito especial, com as palavras certas, os abraços certos e os sorrisos certos, bem como os conselhos certos.
Nadja, eu amo muito, muito, muito demais vc!
Não vou fazer um depoimento agora, mas sou muito feliz por tê-la em minha vida!
Sou feliz pelo seu marido tb...rs.. mas a história dele publico outro dia.
Hoje é dia de falar "Feliz Dia do Amigo" prá vc! (atrasado)
Um beijão!

quarta-feira, julho 25, 2007

Acidentes e Incidentes

No dia do acidente da TAM, aquele que está em todos os jornais, eu cheguei mais cedo em casa, por isso liguei a tv para ver algo sobre o Pan e me deparei com uma tela "em fogo".
Quando identifiquei o local, fiquei muito chateada.
Meus avós moraram atrás daquele prédio mais de 12 anos, se não estou enganada, e eu morei lá tb por algum tempo. Conheço muito bem a região, aquele prédio, aquele aeroporto, aquela avenida, por onde passo mil vezes quando estou em Sampa.
Não sei se por isso, ou apenas pela catástrofe em si, fiquei abatida com o que vi. Fiquei pensando nas pessoas que trabalhavam lá, pensei nas pessoas que conheço que são funcionárias da Tam, e se estariam no vôo, se estariam no prédio naquele instante.
Fiquei com os olhos marejados quando vi uma mãe no saguão do aeroporto, sentada no chão sem acreditar que os dois filhos adolescentes estavam no vôo.
Que tristeza deve estar sentindo aquele marido que cedeu a vaga no avião para a esposa e o filhinho bebê, para poupá-la de outro vôo mais longo, com conexão. Quanto sofrimento durante esses dias na vida de tantas famílias que viram seus queridos desaparecerem subitamente, alguns sem deixar sequer a possibilidade de serem encontrados nem pelo DNA, segundo os noticiários.
Claro que toda a população brasileira começou a ligar a tv e se inteirar do assunto, a mesma passou a dar suas opiniões tolas e toscas.
"É culpa do presidente Lula"
"Culpa do Serra"
"Culpa dos ministros disso e daquilo"
"Culpa da pista"
E enquanto as caixas pretas não mostram a verdade, até o pobre piloto teve sua qualidade questionada pelo fato de ter sido demitido de outra cia aérea.
Talvez seja mesmo culpa de todos esses acusados agora.
Talvez seja culpa da pista também - e todo mundo agora se sente perito em grooving - e do reverso.
Mas penso se é só isso.
Acho que há outros culpados, de forma mais indireta.
Acho que o Brasil inteiro é culpado de uma certa forma.
Sabe o que é? Nós temos a infeliz mania de reclamar demais entre dentes e não agir.
Nós criticamos a venda de votos, por exemplo, mas comprometemos o nosso se recebermos algum favor, se a pessoa for conhecida ou se for da mesma religião como se isso fosse parâmetro para decidir vida política.
Nós reclamamos do governo, mas não participamos dele, não conhecemos sua proposta, então, quando raramente cobramos, cobramos errado.
Todos sabemos que a maior emissora de tv do país manipula a mídia, mas ficamos vidrados lá.
E prá piorar, temos memória curta.
A população de SP tem muita culpa no acidente/incidente da TAM.
Tem culpa política porque aceita e ainda aplaude corruptos desse país, como o senhor Maluf, que anos a fio tem desviado dinheiro para seu bolso e mesmo assim consegue ser o deputado mais votado!!
Essa não foi a primeira tragédia na cidade Não será a última, provavelmente, porque o problema nem é uma pista lisa, nem um reverso, nem é um piloto demitido, nem as chuvas - fala sério?? em SP chove e não sabiam disso quando construíram aquele aeroporto?? SP só passou a ser a "terra da garoa" depois que o aeroporto foi construído?? -, nem o presidente de agora, nem nada disso isolado.
É um problema de caráter que permeia nossa sociedade.
É um problema de falta de amor por quem você é, pela sua pátria.
Acho os americanos muito soberbos às vezes, mas sabe de uma coisa? Eles amam seu país, são capazes de acabar com outra nação para salvar a deles e nós somos capazes de entregar a nossa de graça pra´qualquer mané que chegar no pedaço.
Tô ficando brava já e se eu cntinuar escrevendo vai deixar de ser post prá virar livro e não tenho gabarito para fazer isso, nem tô com vontade.
Mas fica aqui minha manifestação de brasileira, paulistana.
Tá na hora de acordar!


* Definição de acidente e de incidente. Escolha qual é mais apropriada.

a.ci.den.tes. m. 1. O que é casual, fortuito, imprevisto. 2. Desastre, desgraça. 3. Disposição variada de um terreno. 4. Filos. O que não faz parte da substância ou a ela se opõe. 5. Med. O que sobrevém no curso de uma doença. 6. Mús. Nome genérico dos sinais que alteram uma nota, como o bemol, o sustenido e o bequadro.

in.ci.den.te adj. m. e f. 1. Que incide, que sobrevém. 2. Gram. Na antiga nomenclatura gramatical, dizia-se da oração adjetiva explicativa. S. m. 1. Circunstância acidental; episódio.

Os Novos (finalmente!!)

Aqui não estão os 3 maridos...

domingo, julho 22, 2007

Novos Pequenos

Dia bom, apesar da TPM e da chuvinha.
Hoje as crianças da EBD cantaram e falaram um versículo.
Faz bem ouví-las alegres lá na frente da igreja. Faz bem para a igreja, bem para elas, bem para mim.
Lembro de quando cheguei aqui e trabalhava com crianças tb. Pequenos que hoje são nossos adolescentes.
Deus os guardou, deixou que permanecessem livres dos pecados da juventude, dos erros que mais tarde os fariam lamentar.
Com esse novo grupo tenho a mesma esperança. Quase todos são de famílias confusas, desestruturadas, mas acredito piamente que estão aqui para serem guardadas como as outras foram cinco anos atrás (como o tempo passa!!).
Devo a foto delas novamente, mas assim que descarregar a máquina, postarei.

Dia do Amigo (atrasado...)

Longa temporada ausente (mais de um mês, e por razões fortes, de visitas em casa, material para traduzir para um curso ministrado por um americano etc etc etc), mas volto com um post importante para mim.

Ontem foi Dia do Amigo.

Minha vida tem sido regida por grandes e bons amigos, mas também por aqueles amigos que vem e vão, por outros não tão grandes, mas que colorem o dia-a-dia e também pela ausência de queridos que ficaram noutro estado... mais abaixo no mapa do nosso vasto Brasil.

Desses, a saudade ontem e sempre, né Potter?

Dos de todo dia, a cumplicidade de estar ali.

Dos grandes e bons, a gratidão.

Dos que vem e vão, a compreensão.

E de ontem, especificamente de ontem...

OS NOVOS!!

Ontem foi dia de fazer novos amigos, dos que, com a graça de Deus, serão dos grandes e bons, talvez dos ausentes pelos caminhos da vida, mas com certeza serão dos que ficam.

A eles o post de hoje. As fotos, só amanhã.

Carlos e Branca, BINE ATI VENIT*!

*sejam bem-vindos (em romeno)
* post da cor da blusa de ontem

sábado, junho 16, 2007

Quero que o mundo se acabe em gelatina

Quando era mais nova meu padrasto sempre falva que eu queria que o mundo se acabasse em gelatina. Eu ficava uma arara porque era o mesmo de dizer que eu era folgada.
Mas hoje acabei de pensar nisso. Voltei da minha aula (tô dando aula de espanhol num cursinho pré-vestibular) e ,meus pés estão doloridos, estou com fome, com sono, com cólica e pensei:
- Quero que o mundo se acabe em gelatina!
E isso não me ofendeu. Eu gostei!
Isso mostra algumas coisas:
1. Eu mudei.
2. Eu devia mesmo ser uma garota folgada.
3. Padrastos podem falar coisas idiotas na hora errada, mas não significa que estejam errados.
4. Cansaço e folga são muito parecidos em sintomas e desejos.

terça-feira, maio 29, 2007

Marmelada

Ontem passei o dia inteiro fora, numa cidade aqui perto. Deu tudo errado o que tínhamos para fazer, então resolvemos - meu marido e eu - dispensar o resto do tempo no cinema assistindo ao "Piratas do Caribe".
Quando chegamso em casa, a Badn estava transmitindo ao vivo o MIss Universo e assistimos enquanto colocávamso as coisas em ordem e fazíamos um lanchinho.
Havia concorrentes muito bonitas, muito charmosas e simpáticas. Dentre as mais sem graça, estava a japonesa. Ela era einha, sem estilo perto das outras e sem presença.
Fizemos nossa lista pessoal de quem estaria entre as 5 finalistas e nem ela nem a americana estavam, mas é claro que nossa mente contava com a presença da americana por razões óbvias.
Mas foi uma desagradável surpresa ver que as duas não esperadas foram para a final.
Quando a brasileira ficou frente a frente com a japonesa, esperando o anúncio do 2° e 1° lugar, todo mundo pensava a mesma coisa: a brasileira será eleita Miss.
Que nada! A outra ficou com a coroa.
Não seria um problema se a angolana, a coreana ou a venezuelana ganhassem, mas a japonesa ganhar dava na casa a safadeza.
No juri estavam dois, DOIS orientais. Isso fala o resto, né?
Bom, é isso. Nem só no Congresso brasileiro há corrupção e marmelada...

*Escrevi em "prata" em homenagem á Natália

segunda-feira, maio 28, 2007

Maravilhosa Graça

As pequenas coisas.
O riso, o beijo, o abraço apertado.
O cheiro de terra molhada depois da chuva e o sol escaldante secando as roupas no varal, sacudidas pela brisa.
O orvalho da manhã.
Tudo bem fresquinho dentro da geladeira.
O café passado na hora com bolinhos de chuva quentes.

Chocolate quente, frio, chocolate de todo jeito e sorvete.
Torta de limão.
Cair na neve, fazer guerrinha de neve, esquiar, passear de trenó...
Música. Boa música, mas também música engraçada.
Todos os sotaques, todas as línguas e cores de gentes.

As grandes coisas.
Os médicos e suas descobertas. Mexer na medula de um prá salvar outro. Saúde.
Vacinas e seus pequenos milagres cotidianos, livrando criancinhas.
As dores que nos protegem. Os neurônios sensitivos epiteliais.

Amigos. Família. Os doidos da família, os legais.
Acordar bem. Dormir bem.
Estar vivo agora e lembrar dessas coisas e tantas outras que não cabem em nenhum lugar, senão na própria vida.
Graças.

Graça.
Maravilhosa Graça!

sábado, maio 26, 2007

Anorexia

Esse é um vídeo interessante sobre anorexia e bulimia. Vale assisitir e divulgar. Tem milhares deles, muito bem feitos.
Depois de Ana Carolina e Cia, mortas por causa dessas doenças, o Brasil tb deveria investir mais nesse tipo de conscientização, né?

http://www.youtube.com/watch?v=qFbYW6bNViw


Meu Sobrinho


Ida e Vindas

Parece que só porque decidi mesmo manter esse troço em dia, o tempo resolveu faltar...
Foram semanas corridas desde que a internet voltou a funcionar na cidade toda.
A Sofia, minha gata, aquela da foto de uma postagem mais antiguinha, foi operada.
Um sufoco!! Ela tomava injeção para não ter filhotes e estava tudo em dia, mas mesmo assim ela "emprenhou". Achei que a barriga dela ficou estranha e parou de se mexer. Depois vi que ela tinha um líquido escorrendo, mas sem sangue. O líquido ganhou sangue conforme os dias se passavam. E a coisa foi piorando e piorando. Ela começou a ter contrações e nada de sair filhote algum. Levei para a cidade vizinha, onde tem a única veterinária de toda a região, mas ela não quis atender. Revoltada, voltei para a casa e apelei para um rapaz que costuma cuidar dos animais por aqui, sendo ele, inclusive, que vacina meus animais há anos.
Ele aplicou sei lá o que nela e na manhã seguinte aplicou um outro negócio para ela ter mais contrações.
Ela acabou tendo um filhote, mas ele saiu todo se decompondo. E o líquido da placenta parecia pouco e fedido, como podre mesmo.
Corri novamente para aquela dita veterinária, a fim de tentar mais uma vez que ela fizesse a cirurgia.
O marido dela, um grosso, inventou uma história e nos expulsou de lá (a mim, meu marido e à gatinha).
Sem ter o que fazer, nos informamos em cada casa de ração da cidade sobre alguém que pudese atender, até que nos indicaram um rapaz, como sendo veterinário. Isso foi no sábado.
Nós encontramos o rapaz, que foi muito atencioso, tentou tirar com a mão os filhotinhos e explicou que ele é biólogo não veterinário, mas que como a veterinária da cidade se nega a atender alguns bichos, ele atende, aplica injeções, e faz procediments simples, mas não poderia fazer cirurgia.
Nos indicou uma amiga sua, em João Pessoa - há uma hora da minha casa, vale salientar - e imediatamente ligou para a amiga pedindo que nos atendesse.
Tudo certo, partimos dali mesmo, sem nem voltar em casa para trocar de roupas ou pegar dinheiro.
Antes da metade do caminho, passamos por um infortúnio.
O carro estava na oficina e o Fer teve que buscá-lo lá para irmos à Mamanguape. Ele foi para a oficina porque estava com um problema na bateria, que descarregava sem que nem porquê.
Então ele parou. Simplesmente parou no meio da BR. Uns mecânicos do posto mais próximo tentaram o que puderam, mas não conseguiram resolver e não conseguiam entender qual era o problema.
Voltamos de reboque para casa, com a Sofia chorando e sangrando dentro do carro.
Pegamos um carro emprestado, mas já era mais de sete da noite e a veterinária só atendia até às 17. Liguei para ela e ela me deu um telefone duma clínica 24 horas, no caso de eu achar que a gata não aguentaria esperar até o dia seguinte para que ela fizesse a operação.
Tentei falar com o pessoal da clínica, mas o veterinário não estava e mais de nove horas da noie ele disse que só operaria meio dia do domingo.
Dormimos e bem cedo levamos para a outra veterinária, que deveria ter operado no sábado.
Ela fez a cirurgia e deu 70% de chance da gata sobreviver.
Foram dias ruins, cansativos, de muita correria, mas a bonitinha está bem agora. Ela conseguiu se recuperar e oturo dia talvez eu conte como foi tudo em relação à recuperação.
Por hoje deu. É hora de tomar café da manhã.

quarta-feira, maio 09, 2007

Claro

Porque mudar é viver. E vice-versa.
Bom, um tempão sem internet faz muita coisa com o indivíduo.
Primeiro vem a sensação de abstinência, de dependência e de que sem ela vc nao sabe como poderá viver.
depois vem a ansiedade. Vc finge qeu não liga, arruma outra coisa prá fazer mas o tempo inteiro verifica prá saber se já está tudo em ordem com o sinal, abre o pc prá ver se sua placa wi-fi está bem encaixada e mantém liações secretas para os "caras" da internet, para os técnicos, querendo saber quando o problema será resolvido.
Depois vc vai ficando mais calmo. Nem pensa num cyber, apenas vive a vida como se estivesse na Idade da Pedra.
Os dias não passando e a gente começa a perceber que a tv, outrora abandonada, vira sem centro refúgio de informações do mundo externo, aquele bem perto de vc, mas tão distante, fora do seu portão.
Bom, esse "tempo" ba muinha vida serviu para alguma coisa, afinal.
Descobri que a internet é essencial, não vital e confirmei minha teoria antiga de que a tv é uma porcaria que despejam na sua casa, por isso é melhor deixar desligada, exceto para bons dvds.
É... é a vida.
E estou de volta.

sábado, abril 07, 2007

Páscoa sem net

Bom, estou sumida mesmo mas é falta de oportunidade por causa da internet lerda que temos aqui na cidade.
Novidades a qualquer momento.
Paula, NEOQEAV.
Beijão.

segunda-feira, março 12, 2007

Esperança

Que o vento leve
A nuvem vague
A tempestade venha
A Terra gire
E as estações mudem.
Prá que as folhas caiam
E as frutas nasçam
E os pássaros,
Os bichos
E as gentes
Se criem
E procriem
E mamem os rebentos
Para que cresçam grandes
e felizes
E melhores.
Que o choro se rompa
O riso se ouça
A flor desabroche
E a vida siga
E o mundo prossiga
E o sol se ponha
Sem a loucura de ser sempre

E contínuo.
Mas que o vício se encerrre
E permanesça o ciclo simples
Das coisas simples
Da vida simples
E necessária
Tão solidária, embora em si
De si, para si
Ainda assim, para mim,
Para ti
Para os teus e seus e meus
Para que sejamos sempre,

Não nós, mas eles de nós
E se tornem avós
Do sonho retrô
Que sonhamos atrás.

o clipe é terrível, mas dá prá ouvir a música...rs...

Para ouvir:
http://www.youtube.com/watch?v=Evk_sTaqBPM
É a banda do meu irmão... sempre vale uma propaganda, né?
Ele é bom, aliás, eles são.
Precisam dar uma paerfeiçoada aqui, outra ali, mas fala sério? Todo mundo sabe que os caras do Extreme desafinam em "More Than Words"... rs...
Felipe, com todas as coisas dessa vida maluca que nos foi concedida, tenho um carinho enorme por você. Acho que isso é ser irmão. Sucesso!

sexta-feira, março 09, 2007

Memórias 2



No meu sonho eu já vivi

Um lindo conto infantil

Tudo era magia

Era um mundo fora do meu

E ao chegar desse sono, acordei

Foi quando correndo eu vi

Um cavalo de fogo ali

Que tocou meu coração

Quando me disse então

Que um dia rainha eu seria

Se com a maldade pudesse acabar

No mundo dos sonhos pudesse chegar...

*Porque relembrar é viver.

terça-feira, março 06, 2007

Memórias 1

Outro dia, um primo meu entrou aqui e ele achou que sou muito saudosista, ou algo parecido.
Pode ser verdade, porque realmente tenho uma mente parecida com a dos de terceira idade... lembro muito do que se foi há tempos, guardo pouco as coisas atuais...
Mas o fato é que o passado é bom.
Um homem sem história não é ninguém, nem pode ter futuro.
Acredito que a história não possa ser roubada, negociada e, boa ou ruim, é responsável direta de quem somos agora e seremos em nosso futuro tão próximo e latente.
A história dos pais, avós, bisavós... do país, das tribos, dos portugueses, espanhóis, africanos... da Mesopotâmia.
Cada ser é um livro de história para ser completo.
Não sou adepta da filosofia de viver só o momento porque acredito em viver o todo e não consigo enxergar fatos isolados, mas contínuos, interligados.
Isso é a vida, ou assim é a vida.
Nõa foi um dia bom, estou muito cansada para continuar escrevendo tudo o que me aparece na mente, mas queria deixar essa foto para simbolizar o passado-história e como ele é querido e importante para mim.
Com vocês, meu bisavô e o tio do meu pai, uns mil anos atrás.

Porque recordar é viver.

domingo, março 04, 2007

Porque eu amo gatos

Talvez porque ficamos muito empolgados com a chegada da Frida, a Sofia sentiu a necessidade de mostrar que ela também é importante e além disso que sabe fazer o papel de cuidar da casa...
Semana passada, no meio da tarde, dum dia chuvoso, um cachorro entrou no quintal e nós o colocamos para fora.
Poucos minutos depois, ouvi um miado muito feio e bravo na minha cozinha e pensei que fosse um gato da rua tb, porque não reconheci a "voz". Quando saí do escritório e olhei no corredor, vi um cachorrão molhado e fedido e ele correu em direção à porta de saída (pela sala) assustado. Quem vinha atrás, brava, toda arrepiada e fazendo uns sons que eu nunca tinha ouvido? Minha gatinha Sofia...
Eu saí atrás deles, porque tive medo do cachorro machucar a pobre gata e ele realmente rosnou para mim e para ela, fez que iria voltar, abriu o bocão, mas ela deu uma unhada tão feia, que ele correu. Depois lá na frente, já no portão, tentou avançar no Fernando, e a Sofi não deixou.
Ela mereceu uma postagem, fala sério?
Nessa foto eu estava tirando uma soneca e ela foi fazer companhia.

quarta-feira, fevereiro 28, 2007

1/4 de século

Prá não passar em branco totalmente, hoje é meu aniversário.
Foi um dia meio lerdo, porque ontem trabalhei demais, no intuito de descansar hoje e acabei ficando tão cansada que o tempo livre usei para dormir... rs... ótima a idéia que tive... rs...
Não fiz nada de especial. O Fernando até quis me levar à praia, mas estava tão morta que a minha cama era mais atraente que o mar... acabamos ficando em casa.
Terminei de lavar umas roupas de cama e umas toalhas para ficar livre de toda a roupa suja essa semana, já que passei 3 semanas sem máquina e na mão não dava.
Apesar de ter sido "normal" o dia, me sinto bem.
Recebi alguns telefonemas muito legais e até inexperados. Teve uma amiga, aliás, A amiga que estava pensando que fosse amanhã e ligou hoje para ser a primeira... rs...
Recebi umas msgs muito boas tb, que começaram a chegar ontem... uns cartões divertidíssimos e ganhei umas coisinhas legais.
Algumas pessoas que "deveriam" ter ligado, não ligaram.
Mas foi ótimo ter uma festa surpresa feita com todo carinho pelas pessoas com quem tenho convivido, pelas pessoas em quem investi meus últimos anos... quase 5 anos, logo, minha juventude. Valeu à pena e não voltaria atrás em minha decisão de vir para Rio Tinto.
Nem quando fico estressada com erros deles, meus, com problemas da igreja, da comunidade tenho arrependimento. Poderia ter feito minha faculdade nesse tempo, mas cresci muito mais aqui com eles, e sinto que minha existência foi válida.
Não tenho faculdade, porque vim para cá... Nem tenho acesso aos livros que gostaria...
Mas tenho uma vida ótima que nõa troco por nada!
Tenho amigos que valem por tudo e um marido que foi um presente na hora certa!
Posso dizer que estou satisfeita, não acomodada.
"O essencial é viver."

sábado, fevereiro 24, 2007


. . .

Que a vida não pára.
Para quem vai
Para que fica
Para quem quer
Ou não
Nem para quem morre,
Porque a morte é estrada.

De jumento,
mercedez, bmw,
magrela, carruagem
sp2
Vamos todos e sempre


Mas paramos nós
Quando mutamos a Voz
E a vida se esvai um pouco
- porque ela vive, não mais o corpo -
Passamos a existir sem desfrutar.

E parar para pensar em tudo isso
talvez seja o caminho inverso

Deixa...

O juízo excessivo te estressa

Lava alma e o rosto
tira as mãos do teu bolso
e vai
Que a vida não te espera.

Dica de Blog

Tem um colega de Londrina, que agora está na minha terra natal, o Filipe, que começou a fazer um blog. Acho que seria legal acessar, estimular o trabalho dele a continuar, porque a idéia é muito boa: despertar pessoas comuns para a importância das Missões.
Ele acabou de começar, é um trabalho simples, mas fica aqui a sugestão: www.cristianismoemissoes.blogspot.com

quinta-feira, fevereiro 22, 2007

Blue


Ando muito "avoada" mesmo... Esqueci de contar outra coisa importante!
Meses atrás, meu marido estava passando pela varanda e deu um grito assustador. Saí correndo de casa para saber o que era. Meu coração quase saiu pela boca e minhas pernas tremiam sem parar.
Quando cheguei onde ele estava, percebi que não havia nada estrano, mas ele estava atônito, parado e olhando fixamente para uma outra porta. Eu perguntei, gritando, umas mil vezes o que era e ele só me mandava sair dali, tb gritando.
Pensei que ele estivese mesmo ficando doido, porque eu não via nada.
Avancei e ele deu um brado:
- Está no seu pé!!
Aff... pulei e não vi nada...
Só depois de longos minutos percebi que havia um caranguejo gigante ao lado da planta da porta...
Prá um brasileiro que mora no Nordeste há 4 anos e meio, não é muito assustador, mas para um romeno..rs... foi triste! Ele na~osbia o que era, mesmo tendo comido caranguejo várias vezes, porque ele estava enorme e bem azul.
Pegamos o bixo e colocamos num balde par morar.
Foi a festa do Fernadno... colocou nome no bixo e ficava o dia inteiro dando comida para ele. Avisamos que ele morreria se engordasse mais, mas ele estava cego. Era "Blue" prá cá, "Blue" prá lá...
Essa semana ele morreu.
Morreu de tão gordo que estava.
Não tínhamos percebido, mas um amigo nosso veio nos visitar e antes de ir embora, decidiu dar uma olhada no balde. Para nossa surpresa, não ouvimos nenhum barulho e constatamos o que estava na cara: morte por excesso de peso.
Cozinhei o pobre e o Fernando, parendo o Homer Simpson, comeu.
Aqui está a foto dele quando chegou em casa.

sábado, fevereiro 17, 2007

Frida

Não acredito que esqueci de colocar aqui algo sobre a Frida! Bom, não é a pintora... apesar de tb talentosa e malucona, mas é a nossa cachorra. Andam perambulando pela cidade pessoas mal intencionadas e resolvemos colocar um "espantalho", não exatamente uma arma.
Depois de rodarmos muito, muito mesmo, conseguimos um.
Rodar muito é apelido... Nos ofereceram de tudo! filhote de dálmata com pitbull, de pastor alemão com rotweiller, de belga com pastor alemão (ainda vai nascer) e não faltaram donos afoitos para se livrar de seus cachorrinhos de muitos anos de vida, embora todos dissessem ser os melhores cães...rs... não me enganaram com essa. Tenho pavor de pegar cachorro criado.! E odeio do fundo do meu coração em especial tudo que se relacione a rotweillers. Aff... Tenho trauma. Estava atrás de um bicho menos frescurento que um de raça mesmo, porque aqui não temos tempo para frescuras de gente, quem dirá para as de animais!, e queria fêmea, porque acredito piamente que as fêmeas sejam mais ordeiras, limpas, e fiéis, como caçadoras.
Apareceu uma puro sangue de vira-lata. Os irmãos machos eram lindos! Fofinhos, espertos, alegres... tudo o que eu não queria. Fofinho é terrível para cuidar de pulgas, esperto come seus chinelos e afins, além dos pés das cadeiras, claro, alegre é sinal de desobediente.
Não sou adestradora, nem sou criadora, nada disso. Sou leitora e cismada.
E convenhamos, nao nasci para ser a dna de Marley.
Já tinham separado o nosso machinho, mas quis dar uma olhada em todos os outros. Não me mostraram as fêmeas só nasceram duas. Eu insisti, e trouxeram a fêmea branquinha. Era a cra da mãe! Horrorosa e chorona! Credo!! Eu insisti muito para ver a outra - tava parecendo Samuel com Jessé - e trouxeram a marronzinha. Foi a uníca com as características do pai, um vira-lata grandão e ninguém gostava muito dela, porque ela mais "reservada".
Ah... amei! Reservada para mim, é a mesma coisa de obediente. Quieta seria depressiva, o que tb não acho bom, por ser outro extremo.
Ela estava com uma semana e precisava ser amamentada e deixamos a pobre lá.
Prá encurtar, semana passada, ainda sem completar 2 meses, que serão apenas na próxima semana, ela tomou uma surra de uma galinha, quase ficou cega e ficou toda ferida. Parou de comer e prá ajudar a mãe ficou doente e não podia mais amamentar. Eu voltara da praia naquele dia e pediram para buscar às pressas.
Fernando e eu fomos, mesmo sem estar preparados para ela, sem comida apropriada, sem casinha, coleira, brinquedo... Improvisamos um paninho e demos leite. Jáera começo de noite e estávamos nos preparando psicologicamente para a noite longa, com uivos, choros... coisas de filhote, mas foi uma surpresa peceber que ela era silenciosa.Hojem uma semana depois, ela está mais gordinha, brincalhona, OBEDIENTE, já sabe fazer as necessidades no jornal, come ração, toma leite, toma o remédio e não chora, não fica latindo, nada disso.
A foto virá talvez ainda hoje para cá.
Bom, o nome dela era Lucy. Eu acho feio, não... tenebroso, mas foi ideia do meu marido... só que não conseguimos chamá-la assim, era muito desajeitado. Meu pai, que estava aqui quando ela chegou, sugeriu Gabriela, mas já pensou que chato se chegasse alguém aqui na igreja com esse bnome?
Pensamos muito e achamos que Frida é um bom nome. Ela parece ter gostado e não corremos o risco de ofender ninguém. Outro dia conto a história do nome da gata prá explicar melhor...rs...
Bom, o texto e longo, mas se fez necessário.
Fui...

sexta-feira, fevereiro 16, 2007

Curiosidades Culinárias

CHUCHU: Embora considerado por muitos como um legume, o chuchu é uma fruta e, apesar do gosto pouco marcante, apresenta importantes propriedades: além do alto teor de fibras, é uma importante fonte de minerais, como ferro, magnésio, potássio, fósforo e cálcio. Se cozido sem sal, é recomendado para o tratamento da pressão arterial alta.


* Depois disso, eu vou colocar chuchu na sopa... tinha perdido esse hábito, mas vejo que vale, né?

quinta-feira, fevereiro 15, 2007


Retorno pós-pai

Sim, eu estive sumida.
Mas foi por uma boa razão: meu pai estava aqui em casa com os meninos dele.
Foi bom, mas acabo de constatar que não tirei nenhuma foto minha com ele!! Eu fotografei todo mundo, e ninguém nos fotagrafou... snif snif... fica para a próxima agora.
Tenho, no entanto, uma foto dele com os meninos que dá prá ver alguma coisa.

O pudin