quarta-feira, julho 25, 2007

Acidentes e Incidentes

No dia do acidente da TAM, aquele que está em todos os jornais, eu cheguei mais cedo em casa, por isso liguei a tv para ver algo sobre o Pan e me deparei com uma tela "em fogo".
Quando identifiquei o local, fiquei muito chateada.
Meus avós moraram atrás daquele prédio mais de 12 anos, se não estou enganada, e eu morei lá tb por algum tempo. Conheço muito bem a região, aquele prédio, aquele aeroporto, aquela avenida, por onde passo mil vezes quando estou em Sampa.
Não sei se por isso, ou apenas pela catástrofe em si, fiquei abatida com o que vi. Fiquei pensando nas pessoas que trabalhavam lá, pensei nas pessoas que conheço que são funcionárias da Tam, e se estariam no vôo, se estariam no prédio naquele instante.
Fiquei com os olhos marejados quando vi uma mãe no saguão do aeroporto, sentada no chão sem acreditar que os dois filhos adolescentes estavam no vôo.
Que tristeza deve estar sentindo aquele marido que cedeu a vaga no avião para a esposa e o filhinho bebê, para poupá-la de outro vôo mais longo, com conexão. Quanto sofrimento durante esses dias na vida de tantas famílias que viram seus queridos desaparecerem subitamente, alguns sem deixar sequer a possibilidade de serem encontrados nem pelo DNA, segundo os noticiários.
Claro que toda a população brasileira começou a ligar a tv e se inteirar do assunto, a mesma passou a dar suas opiniões tolas e toscas.
"É culpa do presidente Lula"
"Culpa do Serra"
"Culpa dos ministros disso e daquilo"
"Culpa da pista"
E enquanto as caixas pretas não mostram a verdade, até o pobre piloto teve sua qualidade questionada pelo fato de ter sido demitido de outra cia aérea.
Talvez seja mesmo culpa de todos esses acusados agora.
Talvez seja culpa da pista também - e todo mundo agora se sente perito em grooving - e do reverso.
Mas penso se é só isso.
Acho que há outros culpados, de forma mais indireta.
Acho que o Brasil inteiro é culpado de uma certa forma.
Sabe o que é? Nós temos a infeliz mania de reclamar demais entre dentes e não agir.
Nós criticamos a venda de votos, por exemplo, mas comprometemos o nosso se recebermos algum favor, se a pessoa for conhecida ou se for da mesma religião como se isso fosse parâmetro para decidir vida política.
Nós reclamamos do governo, mas não participamos dele, não conhecemos sua proposta, então, quando raramente cobramos, cobramos errado.
Todos sabemos que a maior emissora de tv do país manipula a mídia, mas ficamos vidrados lá.
E prá piorar, temos memória curta.
A população de SP tem muita culpa no acidente/incidente da TAM.
Tem culpa política porque aceita e ainda aplaude corruptos desse país, como o senhor Maluf, que anos a fio tem desviado dinheiro para seu bolso e mesmo assim consegue ser o deputado mais votado!!
Essa não foi a primeira tragédia na cidade Não será a última, provavelmente, porque o problema nem é uma pista lisa, nem um reverso, nem é um piloto demitido, nem as chuvas - fala sério?? em SP chove e não sabiam disso quando construíram aquele aeroporto?? SP só passou a ser a "terra da garoa" depois que o aeroporto foi construído?? -, nem o presidente de agora, nem nada disso isolado.
É um problema de caráter que permeia nossa sociedade.
É um problema de falta de amor por quem você é, pela sua pátria.
Acho os americanos muito soberbos às vezes, mas sabe de uma coisa? Eles amam seu país, são capazes de acabar com outra nação para salvar a deles e nós somos capazes de entregar a nossa de graça pra´qualquer mané que chegar no pedaço.
Tô ficando brava já e se eu cntinuar escrevendo vai deixar de ser post prá virar livro e não tenho gabarito para fazer isso, nem tô com vontade.
Mas fica aqui minha manifestação de brasileira, paulistana.
Tá na hora de acordar!


* Definição de acidente e de incidente. Escolha qual é mais apropriada.

a.ci.den.tes. m. 1. O que é casual, fortuito, imprevisto. 2. Desastre, desgraça. 3. Disposição variada de um terreno. 4. Filos. O que não faz parte da substância ou a ela se opõe. 5. Med. O que sobrevém no curso de uma doença. 6. Mús. Nome genérico dos sinais que alteram uma nota, como o bemol, o sustenido e o bequadro.

in.ci.den.te adj. m. e f. 1. Que incide, que sobrevém. 2. Gram. Na antiga nomenclatura gramatical, dizia-se da oração adjetiva explicativa. S. m. 1. Circunstância acidental; episódio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário