segunda-feira, março 12, 2007

Esperança

Que o vento leve
A nuvem vague
A tempestade venha
A Terra gire
E as estações mudem.
Prá que as folhas caiam
E as frutas nasçam
E os pássaros,
Os bichos
E as gentes
Se criem
E procriem
E mamem os rebentos
Para que cresçam grandes
e felizes
E melhores.
Que o choro se rompa
O riso se ouça
A flor desabroche
E a vida siga
E o mundo prossiga
E o sol se ponha
Sem a loucura de ser sempre

E contínuo.
Mas que o vício se encerrre
E permanesça o ciclo simples
Das coisas simples
Da vida simples
E necessária
Tão solidária, embora em si
De si, para si
Ainda assim, para mim,
Para ti
Para os teus e seus e meus
Para que sejamos sempre,

Não nós, mas eles de nós
E se tornem avós
Do sonho retrô
Que sonhamos atrás.

Um comentário:

  1. ah, não vale...essa corujisse (será q está escrito certo???eheheh).
    Não ouvi, pq não posso, mas isso é mto suspeito, vc não pode dizer q é bom.....ahahah

    Diz pro seu irmão q eu espero mto sucesso pra ele, apesar de não pode atestar se é bom ou não...eheh...

    bjos

    ResponderExcluir