terça-feira, dezembro 04, 2007

Linux, eu consegui!!

Um tempinho atrás, ao trocar de pc, resolvi tentar usar Linux pela segunda vez. Da primeira vez a distribuição infeliz não colaborou, uns 4 anos atrás, mas desta vez, com o Ubuntu, que todo mundo conhecia, fiquei com vontade de ter mais paciência para tentar.
No dia a dia, par editar texts, acessar a internet, trabalhar fotos etc até que ia tudo bem. Se precisava de um programa, era só procurar por ele num chat, site e depois baixar rapidamente, sem nenhum custo. Isso foi me animando.
Que falar das atualizações? Tudo rápido e fácil, muito diferente do que um usuário comum como eu, catequizado pelo Windows poderia imaginar.
Passei a ter problemas quando precisava de algum documento no laptop do meu marido e tinha que usar pen drive porque naõ sabia configurar uma rede.
Aí perguntei a um primo meu se seria possível essa rede entre os dois sistemas operacionais. Ele disse que sim, mas que eu precisaria de um "samba".
fala sério! Depois falou que talvez precisasse de "cups" para a impressora funcionar em rede... Tava me xingando e queria disfarçar...
Mas eu tentei achar esses troços.
Foi tudo caminhando bem, consegui compartilhar arquivos, mas nada de Internet. Tentei tudo o que li nos sites informativos, mas nada funcionava e sem capacidade suficiente para fazer um programa funcionar corretamente. Sabia que a culpa não era do Linux. Era minha, toda minha.
Ontem à tarde criei coragem e entrei num chat.
Alguém amistosamente se ofereceu a me ajudar e hoje pela manhã testei as configurações.
Ansiosa reiniciei tudo e nem sei descrever a emoção ao perceber que no Rwindows o Iexplorer abriu e as cores do site começaram a aparecer...
Obrigada aos colaboradores que me fizeram chegar até aqui!

Para mostrar minha gratidão, segue abaixo um poema que encontrei no site http://marcellino.wordpress.com/


Há dez anos você entrou na minha vida
E curou aquela minha ferida

Meu outro amor não era real
Vivia fingindo passar mal

Eu acordava todo animado
E ele ficava lá travado

Eu queria passear, navegar
Mas o único azul que ele me mostrava não era o mar

Já você amor, que parecia todo sombrio
Em pouco tempo me fez até ter arrepio

No início nossa relação foi complicada
Você ficava mudo, não falava nada

Hoje sei que eu estava enganado
Você só estava desconfigurado

Você me fez ver que eu poderia ser mais feliz
E como forma de gratidão eu também te refiz

Quero que saiba meu amor, que você é tudo pra mim
Se eu fosse uma geladeira, você seria o meu pinguim

Mas como sou apenas um computador digo até o final
Você sempre será o meu único sistema operacional

Um comentário:

  1. Aimee16:33

    E lá vem o coro:
    - Aleluia!
    - Aleluia!
    - Aleluuíí-í-a.
    Hehehe, menos mal pra você. Depois de tantos xingamentos discretos, a conquista!
    Quem sabe um dia, serei eu. rs
    Beijos!

    ResponderExcluir