sábado, maio 19, 2012

Pão de fôrma integral

Hoje foi um dia cheio.

O Fernando saiu logo cedo para dar aula em outra cidade. Isso sempre significa mais trabalho para mim e dia completamente sem tempo nem para respirar. Vai, exagero.. até consigo respirar, não consigo é tomar banho, mas esqueçamos disso.

Tinha almoço suficiente para mim e para o Levi. Requentei um arroz de cereais e feijão, fritei dois bifes ultra macios que separara ontem, a salada estava pronta e tinha uma sobrinha de purê de batatas de ontem à noite, que o Levi ama e aproveitou. Para o jantar, já tinha demolhado ervilhas, que ficaram deliciosas refogadas com bacon, tomate e cebola, servidas com arroz branco - item raríssimo em casa, inclusive o pacote já era - com cenouras e omelete.

Quando vi que horas eram, pensei que daria tempo de fazer um pão para o café, já que os outros dois tinham terminado ontem. Estava querendo fazer um pão integral, as receitas que encontrei em lugares "de confiança" eram em medidas e eu, vergonhosamente, não tenho balança. Aprendi a fazer pães por observação e em volumes.

Peguei uma receita de que gosto, não minha preferida, mas de um pão muito bom, fofinho de fácil e adaptei um pouco. A original pode ser encontrada aqui. Ela foi a inspiração justamente por ser um pão fofo, leve, que me deu coragem para substituir a farinha pela integral, mais pesada e seca.

Meu marido e um amigo americano que está em casa tinham acabado de jantar quando o pão saiu do forno, há alguns minutos. As crianças estão dormindo, deu tempo de eu saborear duas fatias calmamente - coisa rara em vida de mãe de dois peticos - e praticamente não temos pão suficiente para o café da manhã, já que devoraram mais da metade desse aqui. Nem tudo é perfeito.

É tão, tão fácil fazer, que ninguém pode se desculpar com falta de tempo. Fiz a massa, deixei descansando e fui dar banho nas crias, amamentar, contar história, escovar os dentes. Voltei à cozinha, moldei em dois minutinhos e cumpri o restante do ritual noturno do filhote mais velho, uma vez que a petica dorme assim que é posta no berço.

Vamos ao que interessa.


Pão integral fácil, fácil

1 xícara de farinha de trigo
2 1/3 xícaras de farinha integral peneirada (juntar à massa o que foi peneirado, é só para a farinha não ficar socada) (pode acrescentar mais 1/3 se for necessário)
1 colher de sopa rasa de fermento granulado (5g) ou 15 g de fermento fresco
1 colher de chá de mel
4 colheres de sopa de azeite extra virgem
1 xícara de leite morno
½ xícara de água morna
1 ovo ligeiramente batido
½ colher de chá de sal

Aquecer o leite e a água (menos de 60º), juntar o fermento e o mel. Deixar descansar por até 10 minutos. Acrescentar o ovo, azeite, sal e a farinha aos poucos, mexendo com uma colher.
A massa pode até ficar grudenta no começo, mas é melhor não acrescentar farinha e sim sovar até estar elástica, não necessariamente seca. Como aqui é muito quente e anda seco, sempre prefiro que minhas massas fiquem um pouco pegajosas nessa etapa.
Deixar descansar por 1h30. Moldar, colocar em forma de bolo inglês untada e levemente enfarinhada (caso seja de silicone, como a minha, somente untar com manteiga) e deixar descansar novamente por 40 – 60 minutos, até que, quando pressionada, a marca não volte rapidamente. Aquecer o forno a 190º e assar por 25 minutos, até dourar. O pão deve estar com som de oco. Senão, é possível voltá-lo ao forno e assar por mais alguns minutos, observando atentamente pra não queimar.

Já sei que a foto é tenebrosa... mas o pão é delícia!



Nenhum comentário:

Postar um comentário