sábado, fevereiro 17, 2007

Frida

Não acredito que esqueci de colocar aqui algo sobre a Frida! Bom, não é a pintora... apesar de tb talentosa e malucona, mas é a nossa cachorra. Andam perambulando pela cidade pessoas mal intencionadas e resolvemos colocar um "espantalho", não exatamente uma arma.
Depois de rodarmos muito, muito mesmo, conseguimos um.
Rodar muito é apelido... Nos ofereceram de tudo! filhote de dálmata com pitbull, de pastor alemão com rotweiller, de belga com pastor alemão (ainda vai nascer) e não faltaram donos afoitos para se livrar de seus cachorrinhos de muitos anos de vida, embora todos dissessem ser os melhores cães...rs... não me enganaram com essa. Tenho pavor de pegar cachorro criado.! E odeio do fundo do meu coração em especial tudo que se relacione a rotweillers. Aff... Tenho trauma. Estava atrás de um bicho menos frescurento que um de raça mesmo, porque aqui não temos tempo para frescuras de gente, quem dirá para as de animais!, e queria fêmea, porque acredito piamente que as fêmeas sejam mais ordeiras, limpas, e fiéis, como caçadoras.
Apareceu uma puro sangue de vira-lata. Os irmãos machos eram lindos! Fofinhos, espertos, alegres... tudo o que eu não queria. Fofinho é terrível para cuidar de pulgas, esperto come seus chinelos e afins, além dos pés das cadeiras, claro, alegre é sinal de desobediente.
Não sou adestradora, nem sou criadora, nada disso. Sou leitora e cismada.
E convenhamos, nao nasci para ser a dna de Marley.
Já tinham separado o nosso machinho, mas quis dar uma olhada em todos os outros. Não me mostraram as fêmeas só nasceram duas. Eu insisti, e trouxeram a fêmea branquinha. Era a cra da mãe! Horrorosa e chorona! Credo!! Eu insisti muito para ver a outra - tava parecendo Samuel com Jessé - e trouxeram a marronzinha. Foi a uníca com as características do pai, um vira-lata grandão e ninguém gostava muito dela, porque ela mais "reservada".
Ah... amei! Reservada para mim, é a mesma coisa de obediente. Quieta seria depressiva, o que tb não acho bom, por ser outro extremo.
Ela estava com uma semana e precisava ser amamentada e deixamos a pobre lá.
Prá encurtar, semana passada, ainda sem completar 2 meses, que serão apenas na próxima semana, ela tomou uma surra de uma galinha, quase ficou cega e ficou toda ferida. Parou de comer e prá ajudar a mãe ficou doente e não podia mais amamentar. Eu voltara da praia naquele dia e pediram para buscar às pressas.
Fernando e eu fomos, mesmo sem estar preparados para ela, sem comida apropriada, sem casinha, coleira, brinquedo... Improvisamos um paninho e demos leite. Jáera começo de noite e estávamos nos preparando psicologicamente para a noite longa, com uivos, choros... coisas de filhote, mas foi uma surpresa peceber que ela era silenciosa.Hojem uma semana depois, ela está mais gordinha, brincalhona, OBEDIENTE, já sabe fazer as necessidades no jornal, come ração, toma leite, toma o remédio e não chora, não fica latindo, nada disso.
A foto virá talvez ainda hoje para cá.
Bom, o nome dela era Lucy. Eu acho feio, não... tenebroso, mas foi ideia do meu marido... só que não conseguimos chamá-la assim, era muito desajeitado. Meu pai, que estava aqui quando ela chegou, sugeriu Gabriela, mas já pensou que chato se chegasse alguém aqui na igreja com esse bnome?
Pensamos muito e achamos que Frida é um bom nome. Ela parece ter gostado e não corremos o risco de ofender ninguém. Outro dia conto a história do nome da gata prá explicar melhor...rs...
Bom, o texto e longo, mas se fez necessário.
Fui...

Um comentário:

  1. Já era... virou "mamãe" do cachorrinho, já se apaixonou, não tem como... esses bichos são tentadores... mas Frida?? ela é tão feia assim??? eheheh...tadinha...

    Não fale mal dos machos...o meu dog é totalmente especial, meio morgado, preguiçoso, mas é lindo... e é macho...

    ResponderExcluir